Sábado, 26 de Janeiro de 2008

Silêncio da alma

Sublime silêncio...
Que repara os erros,
Que enxuga as lágrimas,
Que fecha feridas,
Que induz ao raciocínio,
Que abre as portas trancadas
Pela escuridão da ignorância,
Permitindo a entrada da luz,
E o despertar da confiança.

Silêncio
Que desactiva todos os sentidos,
É querer falar, mas não se fala.
É querer ouvir, mas não se ouve.
É querer ver, mas não se vê.
É querer tocar, e não se toca.
Querer respirar…não respira,

Não se sente, apenas pressente,
Todo o desejo latente e perdido,
De um coração triste e reprimido.

Silêncio
Para que todos os pensamentos fluam,
E reconheçam cada erro, cada falha,
De alma arrependida, destila e depura,
Concebendo o dom do perdão e da graça.

Silêncio
Para que se faça tangível a razão,
Reconhecendo os jardins dos desamores,
Mas transformando-os em jardins de flores,
No templo puro e cristalino do coração.

Silêncio
Para que todas as ofensas desapareçam,
Todas as dúvidas em confiança se convertam,
E as esperanças perdidas sejam recuperadas,
Na certeza de uma alegria docemente renovada.

Silêncio
Para que eu me lembre de ti,
De cada momento,
De cada sentimento,
De cada beijo tímido,
Que foram dados às escondidas,
Mas que em nada devem ao pudor,
E que nada devem à dor ou mesmo aos desatinos,

Silêncio
Para que vendo uma rosa vermelha
Eu me lembre do teu coração cheio de Amor.
Para que vendo a Lua cheia e luminosa,
Eu me lembre da ternura viva dos teus olhos.
Para que vendo o Oceano em repouso,
Eu me lembre a suavidade e a doçura da tua Paz.
Para que vendo o manto suave das nuvens,
Eu recorde-me da tua pele macia e sedosa.
Para que vendo o nascer do Sol,
Eu me lembre do esplendor do teu Sorriso,
E quando sentir à minha volta o milagre da vida,
Eu possa recordar que me fizeste sentir igual
Quando nos seus braços, vivi no calor do teu Amor.

Silêncio
Para que recordando cada toque de tua pele
Ainda sinta o perfume do teu corpo.
Para que ao recordar do calor dos teus lábios,
Ainda sinta o toque quente e húmido nos meus.
Para que recordando cada diálogo contigo
Ainda sinta a vibração amorosa da tua voz.
Para que recordando cada lugar que juntos caminhamos,
Ainda sinta a energia de tuas mãos, apertando as minhas.

Silêncio
Este silêncio
Que devora cada dia, cada hora,
Cada minuto e cada segundo,
De uma forma lenta, triste, inconsolável.
E aos olhos atentos do mundo,
A dor e a solidão não serão notadas,
A minha alma vertendo em lágrimas,
De uma saudade incontrolável,
Recordo cada momento doce junto a ti
Como um Sol a brilhar dentro da minha alma.

 

publicado por margarida às 10:52
link | comentar | favorito
2 comentários:
De EU... a 26 de Janeiro de 2008 às 14:37
SÓ QUEM AINDA NAO VIVEU UM GRANDE AMOR,É Q NAO SABE O Q ISSO É..
NAO IMPORTA O TEMPO Q DUROU,,MAS SIM A INTENCIDADE,,EM Q FOI VIVIDO..
HA MOMENTOS NA NOSSA VIDA Q JAMAIS QUEREMOS Q ACABEM,MOMENTOS BONS ,PESSOAS SIMGULARES Q SE CRUZARAO..
HA OS Q LEVARAO POUCO DE NOS,OS Q LEVARAO MUITO..
MAS NAO HA OS Q NADA LEVARAO..
BJSDCS..


De estreladosul a 27 de Janeiro de 2008 às 01:54



Amiga, nem sei que te diga de tão comovido fiquei.
Simplesmente lindo. Não tenho mais palavras.
Sim, porque eu entendo perfeitamente tudo o que escreveste. Mas não te feches muito no teu silêncio não é saudável.

Um bom Domingo

Bjinho amigo

Mario Rodrigues


Comentar post

.Todas as fotos aqui publicadas são retiradas da web.SEJA ORIGINAL!!!! DIGA NÃO À CÓPIA... RESPEITE OS DIREITOS DE AUTOR!!!

https://1.bp.blogspot.com/_j3ubHZGDIqo/TTgaUuYnXlI/AAAAAAAAAg0/wGsttV7idGk/S220/Direitos_autorais_%25282%2529.png

.Os meus pensamentos não podem ser presos, levados pelo vento, muito menos cobertos pela areia...pois a liberdade está em sonhar, e o sonhar está na vontade e desejo de AMAR!!!

.Agosto 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.pensamentos recentes

. Olá

. Perder...

. E é isto....

. Preciso de ti...

. (Será) que quero saber?

. ...um dia...talvez...

. Seguir...

. Um sopro...

. Caminhos do destino...

. Tudo passa...

.pensamentos antigos

. Agosto 2015

. Setembro 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds