Domingo, 25 de Maio de 2008

Uma qualquer Rita...

 Tinha apenas 7 quando tudo aconteceu

O pai aproveitou-se e ela nem se apercebeu..

Rita, era a menina mais bonita

Flor em crescimento, a pura dolchevita

Durante a noite, no quarto dela via vulto

Rita, bem-vinda ao mundo dos adultos

Este foi o primeiro de muitos abusos

E quando o tempo passou, deixou vizinhos confusos

As idas ao hospital passaram a ser frequentes

Pois, acabavam em soro, marcas e tratamentos

Mas, Rita foi crescendo e guardando essa dor

Num sonho incolor cheio de raiva e rancor

Na vida a preto e branco, onde o preto predomina

Rita, a menina lá da esquina

O tempo passava e a menina não sorria

Porque, ela só chorava quando o pai a possuía

Porque ela só rezava para que tudo acabasse

Esse bandido trouxe-lhe um olhar basso

E a stora dizia que ela andava distraída

Pudera, vivia com um suicida

Quando dava o toque da campainha,

Ela não queria ir para casa e muito menos sozinha

Agarrava em lápis e pintava no caderno,

Uma casa com a morada do Inferno.

O código-postal era o 666,

Onde o Diabo a penetrava e ditava todas as leis

A TV da vida, onde se vê nu e cru

Não pintava o pai, ela pintava Berzebu

Pintava uma mãe imaginária a dourado

Imagem rotineira, ver o pai embriagado

E a palavra de ordem, agora

É sobreviver, porque ele não quer saber

E já nem lhe dá de comer

Não se preocupa,

Já nem se importa com ela

Rita, é um insecto

Vista à lupa, numa sela

Começada a crescer nesse clima hostil

Juntamente com uma besta, que adorava esse estilo

Um triste, que não tinha outro nome

É triste... Porque ele ainda tinha fome

E não te enganes que não é comida de mesa,

Porque ele era o predador

E a menina era a presa

Assim acontecia, não falhava a 6ª feira

Cumpria a profecia, com Cristo na cabeceira

Mas, além da 6ª, já era habitual...

Toda a semana, era o puro ritual

Mês, após mês

Ano, após ano

Vez, após vez

Ele tornou-se profano

Olhava-se no espelho,

E adorava o que via...

Rita, olhava o espelho

E detestava o que via!

Sentia-se inferior

Um olhar adormecido

Num filme de terror

Que não queria ter conhecido

O pior é que esse cobarde

Guardava o massacre em cassete

Filmava tudo, no fim publicava na net

Mas Rita aguentou só até aos 17

É melhor leres o resto, porque isto promete!

Um dia chega a casa virada do avesso

Pôs a mala no chão

E ao pé dela, pôs o terço

Rezou a Deus e antes de tudo,

Pediu perdão,

Ela tinha medo, mas

Tinha convicção

Com uma faca na mão,

À espera que ele entrasse

Queria acabar com tudo,

Antes que ele a penetrasse

Ele abre a porta e diz:

"Desculpa o que tenho feito!

Mas com a morte da tua mãe

Eu perdi o teu respeito.

Nunca fui perfeito

Perdoa-me ter-te tocado!"

Ela espeta-lhe a faca e diz:

"Estás perdoado!"

Isto é para toda a gente que já foi abusada por esses

parasitas

Porque há por aí muitas Rita's!

 

Isto é uma música dos "Strata G" chama-se "Rita"

E foi-me dada a conhecer pela minha filha.

Graças a Deus que não é uma Rita,

Mas… quantas Rita`s andam com ela na escola (?!)

 

 

publicado por margarida às 22:14
link | comentar | favorito
1 comentário:
De STRATA G a 27 de Agosto de 2009 às 15:58
Obrigado por postar a letra da minha Música.

:)

oiça mais em www.myspace.com/stratagultimopiso


Comentar post

.Todas as fotos aqui publicadas são retiradas da web.SEJA ORIGINAL!!!! DIGA NÃO À CÓPIA... RESPEITE OS DIREITOS DE AUTOR!!!

https://1.bp.blogspot.com/_j3ubHZGDIqo/TTgaUuYnXlI/AAAAAAAAAg0/wGsttV7idGk/S220/Direitos_autorais_%25282%2529.png

.Os meus pensamentos não podem ser presos, levados pelo vento, muito menos cobertos pela areia...pois a liberdade está em sonhar, e o sonhar está na vontade e desejo de AMAR!!!

.Agosto 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.pensamentos recentes

. Olá

. Perder...

. E é isto....

. Preciso de ti...

. (Será) que quero saber?

. ...um dia...talvez...

. Seguir...

. Um sopro...

. Caminhos do destino...

. Tudo passa...

.pensamentos antigos

. Agosto 2015

. Setembro 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds